sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Confesso que bebi :)

O que torna este mundo definitivamente triste é o cinza. Cresci com a ilusão pueril de que o bem e o mal existiam separados, dicotômicos como a luz e a escuridão, o calor e o frio, a felicidade e a tristeza... Mas o mundo tem seguido por caminhos estranhos - há os que riem com as tragédias alheias e os que sofrem por causa do sucesso dos outros. Me ocorre que talvez o mundo tenha sido sempre assim, embora se enfeite o passado, como se lá atrás as coisas tivessem dado certo e, de repente, o mundo estivesse se desviando do bom caminho. A ganância e o egoísmo sempre existiram. O mundo não é realmente Tolkien e Rowling, mas sim George Martin e Cormac McCarthy. O mundo não é José de Alencar, é Luís de Azevedo. O mundo é cinza. Talvez a coisa mais acertada que o pequeno David fará toda a sua vida é esta, sob o efeito de sedativos: This is the real life? Os livros que mais amava me traíram ou, prefiro pensar, me deram a oportunidade de adiar o horrorshow que é o espetáculo dos duplipensantes atuando. Haja moloko nesta vida e viva Kubrick, Burton e Tarantino! Tinha pensado em tanta coisa para dizer sobre isto, mas parece simplesmente inútil acrescentar mais algo. Isso, basicamente, é o Demian de Hesse. :-/

share